2/25/2017

Sem bloco Furacão, Carnaval em Floriano aposta em 'arrastões'

Carnaval de Floriano 2017
Um dos mais tradicionais e atrativos carnavais do Piauí, o da cidade de Floriano, vai acontecer com várias mudanças neste ano de 2017. Entre as novidades está a realização de mais um “arrastão” na terça-feira de carnaval, além dos dois tradicionais realizados no sábado e na segunda-feira. Além disso, a folia de momo desta edição não vai contar com o Bloco Furacão.

O tema do carnaval para a Festa de Momo 2017 é “É carnaval, é Floriano! Na Rua e no Coração!”. A escolha de Rei e Rainha do Carnaval acontecerá durante o tradicional “Zé Pereira”. A festa acontece de 24 a 28 de fevereiro e a expectativa de público e de 30 mil pessoas.

Neste ano, o percurso dos arrastões não vai ocorrer da Avenida Beira-Rio e retorno à Avenida Getúlio Vargas. O evento volta para a tradicional saída da antiga rodoviária de Floriano. “Tomamos a decisão de voltar à festa para o Corredor da Folia, que é um desejo antigo da maioria dos florianenses. Então decidimos retornar com o mesmo percurso do tempo em que instituímos o ‘arrastão’ de Floriano”, disse o prefeito Joel Rodrigues.

Sobre as escolas e blocos de samba, Joel Rodrigues anunciou que este ano não será possível destinar recursos para esta finalidade. “Nós estamos buscando novas parcerias para realizar o carnaval de Floriano e não temos um prazo suficiente para conseguir os recursos e ainda fazer esses repasses, já que só temos pouco mais de vinte dias para o carnaval. Seria difícil nesse curto espaço de tempo equipar todas as escolas e blocos de samba para desfilarem este ano”, afirmou Joel.

Durante a entrevista o prefeito Joel Rodrigues também anunciou que será estudada, junto a Polícia Militar e ao Ministério Público, a possibilidade de inovar o carnaval de Floriano, com a realização de um “arrastão dos paredões” no domingo, na Avenida Getúlio Vargas. (Fonte: G1)

2/14/2017

RETRATOS

Esse jornalista e Rafael
Fizemos no último domingo uma visita de cortesia ao nosso amigo Rafael Ribeiro Gonçalves em sua honrosa residência, onde fizemos uma viagem ao tempo.

Relembramos dos tempos de uma boa Floriano, apesar de que a cidade passa por um processo de desenvolvimento sistemático e produtivo, mas que precisa-se  constatar que os nossos gestores têm que buscar os investimentos mais plausíveis para alavancar o progresso de Floriano.

Falamos de futebol, carnaval, sociedade, amigos e um monte de temas que nos fizeram rir e chorar. Rafael Ribeiro Gonçalves foi um dos baluartes na condução do desenvolvimento do desporto local nos anos de 1960 e 1970.

Diversos craques passaram pela sua orientação no período romântico do futeol de salão e no futebol de poeira, como Jolimar, Cleber, Mocóm Zuega e tantos outros atletas do passado que justificaram a sua passagem nessa fase áurea de nossos eventos esportivos.

Esperamos que os nossos novos líderes façam renovar essa filosofia pregada em nosso tempo para soerguer novos talentos.

2/10/2017

Escola Municipal Marcos Santos Parente realiza matrículas na modalidade EJA

Fonte: florianonews.com

A Secretaria Municipal de Educação de Floriano, através da Escola Municipal Marcos Santos Parente, situada na BR-343, no bairro Meladão, 
anunciou na última quarta-feira (8), que se encontra com matrículas abertas modalidade Educação de Jovens e Adultos (EJA) da 1ª à 4ª etapa.
Escola Municipal Marcos Santos Parente


As matrículas serão realizadas neste mês de fevereiro durante o dia. No período de 08 a 10/02 haverá plantão para matrículas também no turno da noite.

Os estudantes interessados deverão procurar a secretaria da unidade de ensino munidos dos documentos pessoais e histórico escolar.


2/06/2017

MELHORIAS DO FLORIANO CLUBE

Reforma Floriano Clube
Amigos, segundo nos informa Teodoro Sobral, "a parede da frente (lateral esquerda), que foi demolida devido à seu estado precario (estava toda rachada e podendo cair a qualquer momento, principalmente devido o período invernoso atual), já está levantada, inclusive com pilares e viga de sustentação . Vai agora ser iniciado o reboco".

A Fundação Floriano clube está se empenhando para fazer essas melhorias, dentro de um prazo razoável, no sentido de cumprir o projeto de recuperação total do Clube.

Parceiras estão sendo desenvolvidas para melhor cumprir todas as etapas.

1/31/2017

RETRATOS

ESCOLA NORMAL

 


ESCOLA NORMAL

Por: Seu Nelson Oliveira

1929 foi um ano excepcional para educação em Floriano. Além do Grupo Escolar Agrônomo Parentes, foi fundado o Liceu Municipal Florianense, e, anexo a ele, a Escola Normal Municipal de Floriano. Estabelecimentos que a cidade deve a uma plêiade (grupo) de homens de escol (nata, fina flor) entre os quais Dr. Osvaldo da Costa e Silva, Dr. Theodoro Ferreira Sobral, Dr. José Messias Cavalcante, com o apoio do deputado estadual, Dr. José Pires de Lima Rebelo.

A época caracterizava-se por um extremo elitismo na educação que se traduzia principalmente no excesso de cautelas e exigências com que as autoridades procuravam cercar a instalação de escolas. E o LICEU não pôde ter vida longa. Em 1932, após frustração e desastres, como bem expressa o Dr. Osvaldo da Costa e Silva, em uma entrevista concedida a revista “ZODÍACO” dos alunos do Ginásio Demóstenes Avelino de Teresina, encerrou suas atividades.

O pretexto para o fechamento compulsório foi à deficiência do gabinete de física e química. Esse gabinete deficiente para os técnicos do Ministério da Educação e Saúde eu conheci.

Ocupava toda uma sala. E comparando-se com os laboratórios dos estabelecimentos de hoje, que os possuem, era sem dúvida riquíssimo.
Mas fechado o LICEU, a Escola Normal continuou. E foi por muitos anos o único estabelecimento de ensino pós primário com que puderam contar os jovens florianenses que desejavam continuar seus estudos e não tinham recursos para estudar fora.
ESCOLA NORMAL DE FLORIANO – 1937

1ª Fila sentados (Esquerda para a Direita): João Francisco Dantas (Professor), Alzira Coelho Marques (Professora), Fernando Marques (Professor), Não recordo o nome, Antonio Veras De Holanda (Fiscal do Governo), Hercilia Barros Camargo (Diretora), João Rodrigues Vieira (Professor), Ricardina (Professora), Albino Leão da Fonseca (Professor),Emid Vieira da Rocha (Secretária);

2ª Fila: Ana Magalhães Gomes (Inspetora de Alunos), Américo de Castro Matos, José Vilarinho Messias, Djalma Silva (como aluno), Não recordo o nome, Ida Frejat, Maria do Carmo Alves, Adaíla Carnib, Zuleica Santana, Aldenora da Silva Correia, Horácio Vieira Rocha, Antonio Alves da Rocha, Jose de Araujo Costa, Nely Paiva (Inspetora de Alunos);

3ª Fila: Maria Adélia Waquim, Clarice Fonseca, Iete Freitas, Não recordo o nome, Hilda Carvalho, Maria Amelia Martins, Lenir de Araujo Costa, Zizi Neiva, Maria do Carmo Castelo, Assibe Bucar, Dayse Sobral, Francisca, Lucinda Vilarinho Messias;

4ª Fila: Não recordo o nome, Maria da Penha Sá, Não recordo o nome, Maria Constancia de Freitas, Não recordo o nome, Não recordo o nome, Maria Henriqueta Franco, Judith Martins, Maria do Carmo Ramos,, Maria Miranda, Zélia Martins de Araujo Costa, Maria Lilita Vieira, Nilza Araújo, Antonieta Martins, Ecléia Frejat. - Acervo do Profº Djalma Silva).

Escola voltada para a formação de professores primários, isolada, sem qualquer vínculo com o curso superior ou mesmo com o curso secundário. Quem a cursasse e no decorrer do curso pretendesse passar para uma escola secundária a única que dava acesso ao curso superior, tinha de fazer exame de admissão e entrar na primeira série.

Alem disso, escola incompleta. Dos 5 anos que constituiu o curso normal propriamente dito, ministrava as 3 primeiras séries, devendo aqueles que quisessem diplomar-se, ir para Teresina.

Cursei a Escola Normal Municipal de Floriano de 1934 a 1937, e a ela sumamente grato por me ter possibilitado continuar meus estudos há dois anos interrompidos por falta de recursos para ir estudar em outras praças, e por ter me proporcionado o encontro com uma profissão que tem sido a razão de ser da minha vida.

Primeiro fazia-se um curso propedêutico (preliminar) de dois anos, anexos a escola – o Curso de Adaptação. Este curso eu a fiz de 1934 para 1935, minha classe era mais menos numerosa. A maioria mulheres. Entre colegas recordo-me: Maria da Costa Ramos (1), Judith Martins, Zuleide Santana, Hildinê Silva, Helena Reis, Assibe Bucar (2), Amália Nunes (3), Maria Lilita Vieira, Maria da Penha Sá, Olavo Freitas, Heli Rodrigues, Horácio Vieira da Rocha, Américo de Castro Matos, Milton Chaves (4), Raimundo Noleto e Joaquim Lustosa (5).

Na vigilância estava Dona Carmosina Batista, muito dedicada mas fiel cumpridora das ordens emanadas da direção da Escola. Nos intervalos das aulas os alunos tendiam conversar descontraidamente. Dona Carmosina Batista, bradava: - Silêncio! E se alguém se excedia nas atitudes ela ameaçava!

- vou dar parte ao diretor!

E dava mesmo. E o denunciado podia, conforme a falta, pegar uma simples repreensão ou logo uma suspensão.

Eu, não obstante pacato, fui denunciado duas vezes. Na primeira o diretor me repreendeu e advertiu:

- Não faça outra.

Mas acabei fazendo. Em acordo com Olavo Melo e Milton Chaves. Não me lembro o que fizemos.

Sei que não foi coisa grave. Porém como éramos reincidentes ou já tínhamos sido repreendidos, pegamos 3 dias úteis de suspensão.
Dos professores que recordo: Dr. Manoel Sobral Neto (6) também diretor, que lecionava francês; Dr. Rodrigues Vieira, que lecionava Geografia; Alceu do Amarante Brandão, que lecionava português; Dalva Nascimento que lecionava aritmética e parece-me que ciência.

O curso de Adaptação era previsto para dois anos. No fim do primeiro foi nos facultado aproveitar o período de férias para fazer as disciplinas do segundo ano. De sorte que em 1935 os aprovados puderam matricular-se no 1º ano do curso normal.

NOTAS IMPORTANTES:

1. Filha do Sr. Ramos da Farmácia Sobral;
2. Irmã do Sr. Arudá Bucar;
3. Funcionária dos Correios parenta do Senador Helvídio Nunes, de Picos;
4. Desembargador do Tribunal de Justiça do Estado do Piauí, irmão da Dona Nazinha, esposa do Sr. José Cronemberger dos Reis e consequentemente tio de Antonio Reis Neto, Airton Arrais Cronemberger, Antonio José e Paulo;
5. Deputado Federal pelo Piauí, esposo em segunda núpcias, da Doutora Afonsina Nogueira;
6. Fundador do Instituto Santa Teresinha que depois passou denominar-se Ginásio Santa Teresinha, e também seu diretor por mais de 40 anos.

Transcrito do Jornal de Floriano Edição nº 324 de 1985

Pesquisa: César de Antonio Sobrinho.

Fotos: A rquivos Prof. Djalma Silva - 1929

1/27/2017

RETRATOS


Estávamos, ansiosos, cumprindo um roteiro matinal por entre as matas e as florestas da Princesa. Ainda havia um tempo em que a nossa vegetação nos proporcionava grandes alegrias.

A Taboca, Vereda Grande, Irapuá e Meladão, por aí ainda havia muitas belezas e florestas naturais e o canto dos pássaros; hoje, apenas, escutamos os carros de som insuportavelmente transgredindo a harmonia de nossa música.

Precisamos, a um tempo curto, revitalizar as nossas matas e o canto do passarinhedo. Precisamos voltar a tomar banho de chuva e invadir as bicas. Não podemos mais suportar o novo consumo que instalou-se de repente de forma descultural.

Precisamos, enfim, buscar os velhos carnavais e as marchinhas que nos causavam grandes emoções.

1/25/2017

Projeto discute revitalização do Cais do Porto de Floriano

Revitalização Cais do Porto
Joel Rodrigues discute projeto de revitalização do Cais do Porto, de Floriano
O prefeito Joel Rodrigues recebeu em seu gabinete, na manhã desta terça-feira (24), uma equipe de técnicos da Secretaria de Estado de Cultura do Piauí, entre eles arquitetos, paisagistas e designers. Também participaram do encontro o Secretário de Governo Fábio Cruz, Secretário de Infraestrutura Marcony Allisson e Secretária de Cultura, Esporte e Lazer, Elineuza Ramos. 

A reunião teve como finalidade discutir a elaboração de um projeto de recuperação e revitalização do Cais de Floriano, um dos maiores pontos turísticos no Piauí. Ao final do encontro, foi acertada a realização de um levantamento sobre o patrimônio material do Cais do Porto, para que em seguida possam ser tomadas as diretrizes para refoma e ampliação da área.

“Essa primeira visita serviu para reavaliarmos esse projeto para em seguida elaborarmos as melhores técnicas de revitalização, preservando toda a estrutura história, para que possamos oferecer aos florianenses mais opções de lazer e cultura na nossa cidade”, comentou a Secretária de Cultura de Floriano, Elineuza Ramos.

O projeto será desenvolvido pela Prefeitura de Floriano, em parceria com a Secretaria de Estado de Cultura do Piauí.


SECOM

1/24/2017

Retratos de Floriano

Mais um retrato da memória da sociedade florianense. O Ginásio Santa Teresinha expondo suas metas educacionais, através do desfile de sete de setembro nos belos anos de 1950.

Coreto na década de 50
Segundo o Teodoro, dos homens, ele reconheceu o Gabriel Kalume, Hélio Castro e Juarez Leitão . Quanto às mulheres a Naila Bucar, Samaritana Correia e a Expedita, que foi secretaria do Santa Teresinha.

O coreto foi construído no início da segunda gestão de Doutor Sebastião Martins, em 1955, quando ganhou de João Lobo, récem chegado formado, foi a ate hoje a maior vantagem entre dois prefeitos em Floriano, portanto deve ser 56 ou 57, segundo nos revela Teodoro.

Reconhecidos, também, o Pedro Attem, com as mãos sobre a grade: entre ele e o que está pegando o globo está o Rivadávia Borba, surpeeende o professor Luiz Paulo.

É o tempo voltando, através da saudade.

1/21/2017

QUE TIME É ESSE?

Que time seria este?
Segundo nos informou o nosso amigo Rafaael, a escalação do time acima é Sousa (sargento da Vereda Grande), Zé Henrique, Poncion, Pechincha, Joao Rato. 

Agachados, podemos observar o Joäozinho, Antonio Luiz, Rafael, Brarrim e näo conseguimos identificar o ponta esquerda.

O campo aí é o estádio José Meireles, o famoso Ferroviário, que hoje abriga o Hospital Miguel Couto.

O primeiro jogo do estádio José Meireles foi contra o Parnaiba, quando o Ferroviário derroutou por um a zero o time do Parnaiba do litoral piauiense.

Precisamos identificar o registro da data oficial, detalhes, escalações, ficha técnica etc. 

EM TEMPO:

O NOME DO TIME ACIMA, SEGUNDO NOS REVELOU O NOSSO AMIGO RAFAEL, TRATA-SE DO ANTIGO BRASIL, QUE DISPUTAVA TORNEIOS LOCAIS.

1/20/2017

FLORIANO - TIMES ANTIGOS


Flamengo de Tiberinho
FLORIANO ESPORTE CLUBE

Teve como presidente o senhor Avelino Coelho Resende. Os jogos eram realizados na ÁREA, terreno onde hoje funciona o prédio do acervo da Maria Bonita na Beira do Rio.

UBIRAJARA

Existiu entre as décadas de 1940 e 1950. Era um time formado por operários. Um deles era o pedreiro Zeca do Caracol ( irmão do Floriano Preto ).

ARTÍSTICO

Alguns jogadores: Bató, Martin Galvão, Tunga, Tuna Cansansão, Gonçalo Pimenta, Chico Rabelo ( goleiro ) e Raimundo Cabelo Bom. Existiu na década de 1940.

INTERNACIONAL

AMÉRICA

Alguns jogadores: Geraldo Martins, José Nunes, Olindo Nunes.

UBIRATAN

Fundado por Bucar Neto, atuavam os jogadores Zeca Demes, Luís Carlos ( Boca de Flor ), Duzito Rezende e o Everton.

PAISSANDU

Fundado por Paulo Gamborra.

COMÉRCIO ESPORTE CLUBE

Foi o sucessor do INTERNACIONAL e AMÉRICA. Teve o privilégio de ser por algum tempo o único time a ter o seu estádio próprio ( o tradicional Estádio Mário Bezerra ). O último campeonato que disputou foi em 1967, sagrando-se campeão numa emocionante vitória sobre o Ferroviário em dezembro daquele ano.

Seus principais jogadores foram Olindo Nunes, José Nunes, Bilego, Anésio Batista, Geraldo Martins, Nilton Camarço, Roló, Tarquinho, Bicudo, Fenelon, Adauto, Colega, Defala Attem ( goleiro ), Kelé, Serrinha, Daniel, Antonio augusto (Tunico Babaçu ), Ildefonso Ramos, Paulo Carnib, João Luís (destes últimos, o técnico era Sebastião Silva );

 Balduíno, Bruno dos Santos, João Batista Mendes, Djalma Macedo, Joaquim Alencar Cunha ( Quincas ), Alfredo Nunes, Antonio Ulisses ( Pelado ), Pepedro, Antonio José Caraolho, Luizão Sansão, Nova York, Didi Nunes, Dos Santos, Raimundo Mendes, Washington e Xico Pereira.

FERROVIÁRIO ATLÉTICO CLUBE

Fundado por Antonio Cloves Ramos e Adauto, no dia 1º de maio de 1950, com o jogo de estréia - Ferroviário 2 x 1 Artístico. Sua escalação: Adauto, Aceno, Nascimento, Carlos Barbeirom Hélio Castro e Euvaldo Angeline; Nelson, Zé Alves, Assis Bonitinho, Abdon Barguil e Nenem Mão de Vaca.

O time do ano de 1951 era contituído pelos jogadores Zé Pulu, Ferré, Chico Mateus, Guilherme Magarefe, Hugo Leal, Balaio, Zezinho, Omar, Adauto e Américo.

Alguns jogadores do time do final da década de 1950 e início dos anos de 1960: Sadica, Colega, Cassaco, Pepedro, Valdomiro e Mário Besta Brava.

Disputou o campeonato estadual de 1964, 1965 e 1966, com a seguinte equipe: Piqui, Valdemir, Valdivino, Pompéia, Zezeca, Pepedro, Cabeção, Rômulo, Tassu, Bitonho, Antonio Luís Moreira Nunes, Veludo, Vicentinho e Zequinha.

Outros jogadores famosos do Ferroviário daquele tempo: Parnaibano, Poncion, João Maiô, Maranhão, Nico, Magro, Grilo, chapéu, Domício, ( este veio do América de Petrolina, tinha um chute fortíssimo com o pé esquerdo ), Reginaldo, Elder, Sóstenes, Netinho ( quarto zagueiro ), Valdivino, Domingos, Liro, Lino ( este último foi o jogador mais caro do Ferrim, pois ganhou uma geladeira, causando grande inveja entre os demais jogadores , já que naquele tempo era raro quem possuísse este eletrodoméstico ).

Foram seus diretores os desportistas Deusdete Pereira ( O Deusdete Macarrão ), Francisco Delmiro de Araújo ( o Nilton das Casas das Roupas ), merval Lúcio da Silva, Nazareno Araújo, Tibério Nunes e José Meireles ( nome dado ao estádio do Ferrim ).

Outros jogadores do Ferroviário: Adauto, Arsênio, Nelson Oliveira ( goleiro ), Vilmar ( o professor ), Fenelon Brasileiro, Balduíno, João Batista Mendes, Chico Pereira e Binda.

Formação do time na década de 1960: Cajazeira, Fortaleza, Sinézio, Raimundo Fumaça, Pepedro, Popó, Dodó ( goleiro ), Antonio Ulisses ( o Pelado ), Carlos Augusto, Zezeca e Valter Moleza.

Um goleiro que marcou época no Ferroviário foi Netinho. Faleceu há alguns anos atrás aqui em Floriano.

SAMBAIBA

O Presidente era o Joaquim Viana de Carvalho e os jogadores mais lembrados são os atletas Paulo Gamborra, Zé Leiteiro e o Bazué.

BONSUCESSO

Na época do infantil, o fundador foi o Sinimbú e no tempo do time adulto, era presidente o Calisto Lobo Matos. A maioria de seus jogadores eram estudantes, como Jamil Zarur, Mussa Demes, Calisto Lobo Matos, Bucar Amado Bucar Neto, Abdala Zarur, João Alfredo Gaze, Nozinho e Abdoral.

INDEPENDENTE

Fundador: José Antão dos Vale Reis no ano de 1958. Na época do amadoriso, o time do Independente era formado pelos jogadores José Antão 9 dirigente ), Pedro Gancho, Darce, Julimar, Antonio José, Halboner, Ribamar e Gaze Mazuad.

Dedé ( grande jogador de futebol de salão do Banespa de Teresina ), Pauliran ( sobrinho de dona conceição Salustiano do Tufi Lobo ), Ribamar, Rafel, Zé Alonso, Zé da Guia e Odorico.

Esse time era quase imbatível.

RÍVER

Era o time juvenil do Chico Camarço. Foram seus jogadores o Aroldo Rocha e o Mário Anselmo, dentre outros.

VASCO

Seus principais jogadores eram o Antonio Luís Moreira Nunes, Milton Costa Sá, Antonio Afonso Ribeiro Gonçalves, e Darce Arimatéia Ferreira Lima na década de 1960.

BANGU

Fundado no ano de 1962, era um time de garotos que jogavam descalsos, como Abdoral, Luisinho e Zé da Guia, os lembrados.

FERROVIÁRIO JÚNIOR ATLÉTICO CLUBE

Fundado por Carlos Augusto ( o Pompéia ), que era o goleiro do Ferrim, aproveitou todo o material esportivo do antigo time e montou este novo time, já que o famoso Ferroviário não iria disputar o campeonato estadual de 1967.O júnior foi o campeão florianense daquele ano, em seu primeiro ano de existência. Seus jogadores, a maioria era do antigo Ferroviário.

INDEPENDENTE

Outro time com o mesmo nome de um que já tinha existido no final da década de 1950 acima descrito. Fundado pelo desportista Bucar Neto, em 1967, depois que se desentendeu com o pessoal do Palmeiras. Um dos seus jogadores foi o goleiro José Henrique Waquim.

POSTO SABBÁ ESPORTE CLUBE

Presidente: Manoel Silva.

CORINTIANS ESPORTE CLUBE

Fundado por Carlos Augusto Costa Ferreira ( o Pompéia ). A fusão do Coríntians com o Posto Sabbá, deu origem ao Cori-Sabbá. Este time e o Ferroviário ( década de 1960 ) foram os únicos que já participaram do campeonato estadual piauiense ( primeida divisão ).

PALMEIRAS

Fundadores: José Bruno dos Santos e Abdoral Alves do Nascimento em 1965. originou-se do Bonsucesso. Jogadores: Antonio Guarda, Raimundo Bagana, Sadica, Miguel ( goleiro ), Perereca e Bitonho ( estes dois últimos vieram do Piauí de Teresina ), Zé de Tila e Carlos Pechincha.

SANTA CRUZ

Fundador: Bazué ( já falecido ).

FONTE NOVA

Fundador: Benedito Preto.

AMÉRICA

Fundador: João Martins. Time que revelou o centroavante Gonzaga.

CRUZEIRO

time do Bosque Santa Teresinha. Fundador: Capitão Penha.

CLUBE DE REGATAS BRASIL

Fundador: Abdoral Alves do Nascimento e Bucar Neto.

TIRADENTES

Fundação: 1970, time de veteranos: Sadica, Jamil Zarur, Antonio Ulisses ( o Pelado ), pepedro, Dos Santos e Abdora.

FLAMENGO DE TIBERINHO

Fundado pelo desportista florianense Tibério Barbosa Nunes Filho ( o Tiberinho ), nos anos de 1960, jogava sempre no campo dos artistas e no campo do Ferroviário ( foto acima ) e era constituído pelos atletas Miguel ( goleiro ), Janjão, Danúnzio, Chiquinho, Zé Buraco, Pinguim, Jolimar, Parnaibano, Poncion, Siqueira, dentre outros.